Opinião | As corridas de Galgos no norte de Portugal

Hoje, 2 de julho, é discutido na Assembleia da República a proibição das corridas de cães, frequentemente referidas como corridas de galgos, com base nas propostas de projetos de Lei do Bloco de Esquerda e do PAN.

Publicamos um artigo de opinião da Dra. Cláudia Terroso, Veterinária Municipal de Vila do Conde, que é um testemunho real sobre as corridas de Galgos organizadas pela Associação Galgueira e Lebreira do Norte, no Concelho de Vila do Conde.

 

“Em face da grande polémica criada à volta das corridas de Galgos, achei necessário escrever este testemunho real e deixar uma palavra de apoio/amizade aos Galgueiros do Norte.

Sou Veterinária Municipal de Vila do Conde há 15 anos, e estando a Associação Galgueira e Lebreira do Norte sediada no Concelho, passou a ser solicitada a minha presença nas corridas de forma a garantir o Bem-estar Animal e cumprir a legislação em vigor.

Ao longo destes anos fui conhecendo melhor os galgueiros e, obviamente, os Galgos. Além da relação profissional, criei relações de amizade com vários galgueiros e fui conhecendo melhor a realidade da Associação.

Fiz inúmeras inspeções (algumas vezes com o apoio do SEPNA), quer a nível da documentação dos animais, quer a nível do estado geral dos animais, por isso baseio-me em factos reais e passados em Portugal.

A quase totalidade dos Galgos de corrida são dóceis, sociáveis e bem tratados pelos donos. Permitem o contacto e exame clínico sem revelarem desconforto e medo durante o mesmo. Como em todas as actividades não serão todos donos exemplares, mas a larga maioria é.

As corridas em Portugal são amadoras e não há apostas do público como é dito. Aliás, regra geral não há público, só galgueiros, familiares e alguns amigos.

Em 15 anos nunca foi recolhido um Galgo na via pública pelos Serviços Oficiais, ao contrário de outras raças e dos cães de raça indeterminada.

Vários dos galgueiros têm Galgos idosos nas suas casas ao contrário do que é dito e tal pode ser confirmado.

Por último, antes de criticarem/insultarem e criarem ondas de ódio deveriam vir conhecer os Galgos ao vivo, nos dias de corrida ou falar com a Associação Galgueira e Lebreira do Norte para os verem nos locais que habitam. Tenho a certeza que seriam bem recebidos e sem ódios.

Por fim, as notícias terrificas do mundo dos Galgos referem-se a outros países onde a actividade é profissionalizada e não a Portugal (Espanha, Argentina, Inglaterra, Austrália, etc.) e como é evidente nessa realidade deveriam ser proibidas e criminalizados os donos desses Galgos.

Como é evidente, aceito opiniões contrárias, mas baseadas na realidade de Portugal e do norte. Só falo do que conheço pessoalmente e sem insultos. A falar é que as pessoas racionais se entendem.”

 

EnglishFrenchPortugueseSpanish