Dicas para manter o seu cão seguro neste Halloween

O Halloween é a noite dos “doces ou travessuras”… e eventuais problemas para os cães. Muitos donos já sabem que o chocolate é tóxico para os cães, mas há mais perigos nesta época.

Este artigo é para o ajudar a que esta noite divertida não se torne em um filme de terror para si e para o seu cão.

Chocolate

Uma das guloseimas mais oferecida às crianças no Halloween são chocolates, que é tóxico para os cães. A sua ingestão pode causar desde vómitos e diarreias, a arritmias cardíacas letais. É importante saber a gravidade e o que fazer, se encontrar uma embalagem de chocolate mastigada espalhada no chão de casa.

O chocolate é feito dos frutos da planta de cacau, que contêm um alcalóide, a teobromina, o componente tóxico do chocolate. Quanto mais puro for o chocolate maior toxicidade terá!

Se suspeitar que o seu cão comeu chocolate contacte o médico veterinário ou o Centro de Informação Antivenenos – 800 250 250.

LEIA O ARTIGO » O chocolate é tóxico para o seu cão!

Guloseimas sem açúcar

O xilitol é uma substância natural utilizada com frequência como substituto do açúcar, presente em muitos produtos de consumo humano. O xilitol é tóxico para os cães!

Mesmo pequenas quantidades podem causar baixo teor de açúcar no sangue, convulsões, insuficiência hepática e a sua morte.

Veja os sacos das guloseimas e remova os que contenham xilitol, guardando-os num local seguro. Habitue-se a ler os rótulos para verificar se contêm xilitol nos ingredientes. Uma regra a seguir durante todo o ano.

Embalagens das guloseimas

Não temos de nos preocupar apenas com a ingestão das guloseimas, as embalagens também podem ser um problema. Se engolidas podem ficar presas na garganta ou no trato intestinal do cão, exigindo uma cirurgia para os remover.

Acessórios que “brilham no escuro”

Os acessórios que “brilham no escuro” sinalizam as crianças enquanto andam de casa em casa na noite de Halloween. Pode ser um bastão luminoso (glow stick), uma pulseira ou outro acessório. Também são usados como decoração, por exemplo, para iluminar as abóboras. Alguns donos gostam de os colocar à volta do pescoço do cão nesta festividade.

Estes acessórios contêm um líquido amargo. A sua ingestão pode causar dor na boca, irritação e salivação excessiva. Dê-lhe água para beber e lave-o, para garantir que o pelo não fica sujo e que ele lamba mais tarde.

Decorar com velas

Se optar por decorar a sua casa com velas, mantenha o cão debaixo de olho. O mais óbvio é evitar que se queime, mas se derrubar a vela acesa pode causar um acidente.

Como o olfato do cão é muito mais sensível que o nosso, o aroma das velas pode incomodá-lo. Além disso, se a vela contêm óleos essenciais a sua ingestão pode ser tóxica.

Outro perigo na ingestão de velas é que a cera tende a aquecer e amolecer dentro do corpo do animal. O pavio e a base de metal das velas também podem ser engolidos e provocar uma lesão ou bloqueio.

Pense em trocar as velas convencionais por velas de LED, que têm uma chama artificial.

Cães perdidos

Na noite de Halloween a porta e portões são abertos várias vezes. Num segundo, o seu cão pode sair e perder-se. Esteja atento e considere mantê-lo numa divisão da casa que não dê acesso à rua.

Relembramos, mais uma vez, a importância do cão ter microchip e estar registado no SIAC. A sua leitura permite identificar e localizar de forma rápida e eficiente os proprietários. Pode também colocar uma coleira ou medalha com o seu contacto.

EnglishFrenchPortugueseSpanish