Médicos Veterinários apelam à criação de Assistência Social de apoio aos donos

A Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) relembra a necessidade de encontrar soluções para reduzir os animais na rua e o abandono, e apela à criação de um veículo de assistência social para aconselhamento e apoio para detentores de animais em risco.

Jorge Cid, Bastonário da OMV, refere: “Há problemas gravíssimos relacionados com o abandono, desde fatores económicos, problemas de comportamento do animal, doença ou morte do dono, descontrolo de natalidade, férias, entre outros aspetos, que têm contribuído para aumentar o abandono animal e que afeta principalmente cães e gatos. Neste contexto, é essencial a criação de um veículo de assistência social para aconselhamento e apoio para detentores de animais em risco”.

A OMV assinala a 20 de agosto o Dia Internacional do Animal Abandonado, que foi instituído em 1992, e se celebra anualmente no terceiro sábado de agosto.

Este dia tem como objetivo consciencializar a sociedade relativamente à situação dos animais abandonados, promover a adoção e divulgar os cuidados a ter com os animais, tais como a vacinação, esterilização, registo na base de dados e chip, além de garantir outros cuidados médico-veterinários para reduzir a superpopulação.

Em Portugal, são abandonados entre 30 mil a 40 mil animais por ano, havendo mais de meio milhão de animais sem dono no país que estão dependentes da ajuda de pessoas e de instituições para sobreviverem.

O abandono de animais tem aumentado de forma significativa em Portugal nos últimos anos, agravando-se com a pandemia do Covid-19.

 

EnglishFrenchPortugueseSpanish