Taça de Portugal de Mondioring 2021

Depois de uma época completamente atípica, em que a Taça de Portugal de Mondioring de 2020, foi cancelada devido à situação pandémica vivida, o que acarretou a junção de duas épocas (2019/2020 e 2020/2021) numa só, eis que finalmente culminámos na Taça de Portugal de 2021. Fechando assim oficialmente a época.

Para quem não conhece a modalidade, o Mondioring é um desporto, com 3 níveis de dificuldade, constituído por Obediência, Saltos e Mordida/Provas de Coragem e que no seu nível máximo (Grau 3) tem 17 exercícios.

Resumindo, o Mondioring é uma modalidade onde se testa a coragem, tenacidade e inteligência dos cães para resolver exercícios complexos, assim como a sua obediência, controlo, estabilidade de carácter e sociabilidade. E que tem na sua prova rainha a Taça de Portugal.

A Taça de Portugal de Mondioring 2021, organizada pela Associação Portuguesa de Clubes e Praticantes de Mondioring (APCPM), decorreu nos dias 26 e 27 de junho, no campo de futebol da Encarnação, Mafra, contando com a presença de 18 binómios concorrentes, nos 3 Graus/níveis:
– 4 em Grau 1
– 2 em Grau 2
– 12 em Grau 3

Estiveram representadas 9 Escolas de Treino Canino, de norte a sul do país (literalmente) e apesar da rivalidade saudável, habitual nestas competições, viveu-se um autêntico ambiente de festa e de boa disposição entre as várias equipas presentes, que de resto cederam elementos para ajudar dentro de campo, junto da organização, para que a Taça decorresse sem falhas.

Tudo isto sob a égide do Clube Português de Canicultura CPC), que se fez representar pela Presidente Carla Molinari e o Delegado que puderam testemunhar com entusiasmo a atmosfera magnífica que se fez sentir durante dois dias.

Tal como centenas de pessoas por todo o mundo que acompanharam a transmissão direta, na página de Facebook da APCPM.

Este evento, é considerada a prova rainha da modalidade, não só por ser necessário alcançar objetivos mínimos, ao longo do Campeonato para poder a ela aceder, não só pelo grau de dificuldade acrescido, mas fundamentalmente porque o resultado nela obtido, irá posteriormente “fazer média” com a própria média trazida das 3 melhores provas do Campeonato, e dependendo do resultado ditará a Seleção dos binómios que irão representar Portugal no Campeonato do Mundo, este ano a realizar-se na Roménia. Temos então os resultados da Taça de Portugal.

Ranking final, depois de feitas as contas já com o resultado da Taça de Portugal.

Assim temos este ano em Grau 3, o Campeão Nacional de Mondioring, Nuno Barreto em 1º lugar, com a sua fiel companheira Durgha do Vale da Lobagueira, com uma média final de 358,8 pontos.

A Vice-Campeã Maria David em 2º lugar, com a Angra de Tenebris Stellam com 338,986 pontos.

Em 3º Lugar Daniel Oliveira com Durex do Azeicão, com 335,798 pontos.

Em 4º lugar Edgar Loreti com Mogli, com 328,6 pontos.

E em 5º lugar Pedro Neves, com H’Zora Duques Negros, com 321 pontos.

Apesar desta ser a equipa que nos iria inicialmente, representar em Grau 3 no Campeonato do Mundo (o 5º sendo reserva), por motivos profissionais e pessoais variados o Edgar Loreti e o Pedro Neves, cederam os seus lugares.

Dando entrada o Pedro Mendonça com o Argo de Tenebris Stellam, que ficou em 6º do ranking, com 320,6 pontos e o Avelino Rabaça com Markus de La Vallee de Luvry que ficou em 7º do ranking, com 312,6 pontos (passando este a reserva) de forma a completar a equipa em Grau 3.

Em Grau 2 tivemos a Grande Vencedora do Grau 2, Maria David, com Noobai de La Forge Aux Sept Flammes, em 1º lugar com 271,4 pontos e que representará Portugal em Grau 2 Co campeonato do Mundo

E em grau 1 temos o Grande Vencedor de Grau 1, José Sousa, com Candy de Genesis of Top Gun, em 1º lugar com 197,5 pontos e que também representar Portugal em Grau 1, na Roménia.

Boa sorte a todos e se quiserem apoiar a nossa Seleção Nacional de Mondioring, visitem a sua página de Facebook, onde poderão contribuir nas iniciativas de crowdfunding, sorteio de cabazes, etc.

Estiveram ainda em destaque os Homens de Ataque (HA), vulgarmente conhecidos por figurantes, Morgan Blanchard e João Martins no Grau 3; e Rui Lourenço e José Barbosa no Grau 1 e 2. Dotados de um desportivismo e rigor ímpares, fazendo uma forte, mas justa oposição aos cães, de forma a selecionar os mais aptos.

De referir ainda, que tivemos pela primeira vez uma mulher como figurante, apurada para a Taça (ainda que como reserva) de seu nome Tânia Camões, bem como fazer notar que o Morgan Blanchard brilhará uma vez mais, no palco mundial, pois será figurante no Campeonato do Mundo este ano na Roménia.

Por último, mas não menos importante, uma palavra de carinho e de homenagem, a três cães que se retiram da competição e que muito marcaram o Mondioring Nacional nos últimos anos: Aruba Kninept, H’Zora Duques Negros e Ferrari Pote Malin.

Que gozem a sua reforma, com tudo o que têm direito que os seus nomes ficarão para sempre “gravados em pedra” na história do Mondioring português.”

Por: Pedro Mendonça
Fotografias: FF Shot

NOTA: A reportagem fotográfica completa deste evento está disponível na página de Facebook FF Shot.

EnglishFrenchPortugueseSpanish