Município de Viseu aprova novo Centro de Recolha Oficial

Viseu vai passar a dispor de um Centro de Recolha Oficial (CRO) para dar resposta ao elevado número de animais que existem no concelho e fazer face a situações que podem colocar em risco a segurança, higiene e saúde pública.

O Executivo municipal aprovou o projeto para o espaço, um investimento superior a 350 mil euros, que ficará situado junto ao recinto da Feira do Gado, em Rio de Loba.

O número de animais errantes recolhidos pela autarquia, juntamente com a Associação Cantinho Animais Abandonados de Viseu, já ronda os 800 por ano, o que demonstra bem a necessidade de uma estrutura como o CRO. Trata-se de um espaço fundamental para assegurar o controlo premente dos animais de companhia e prevenir ameaças à saúde pública”, explica João Paulo Gouveia, Vereador das Freguesias e Desenvolvimento Rural, Equipamento Rural e Urbano.

Saliente-se que os CRO têm por objetivo sanitário primordial a vigilância de zoonoses graves, como é o caso da raiva, quase sempre mortal, e o controlo da propagação de outras como leishmaniose, equinococose/hidatidose, sarnas e tinhas. Estas doenças podem transmitir-se ao Homem, constituindo problemas de Saúde Pública.

O projeto desenvolvido pela autarquia para o CRO de Viseu, prevê um pavilhão de serviços que inclui enfermaria, sala de esterilização, sala de recobro, sala de limpeza e lavagem de animais, sala de lavagem de material, gabinete Médico Veterinário, sala de arrumo de equipamento para captura de animais e sala de pessoal e vestiário.

Paralelamente, o espaço será também dotado de um pavilhão de alojamento de animais, com boxes que podem alojar cerca de 60 a 70 canídeos e felídeos, uma boxe para outras espécies, quando necessário (equídeos ou outros), três celas para animais perigosos, duas celas de quarentena e uma cela de maternidade.

O prazo estimado de execução do projeto – que está pronto para lançar a concurso – é de 168 dias e a obra contará com uma comparticipação de 50 mil euros prevista no Orçamento de Estado.

“Somos um Município amigo dos animais e temos vindo, consistentemente, a promover políticas de promoção do bem-estar animal. Com esta estrutura vamos reforçar o apoio que nos últimos anos destinamos à causa animal, estimado em cerca de 100 mil euros”, adianta João Paulo Gouveia.

Recentemente, a autarquia estabeleceu protocolos com a Associação Hípica e Psicomotora de Viseu – AHPV e a Associação RAV – Resgate Animal de Viseu. Neste último caso, o objetivo foi apoiar e promover a adoção responsável de cães e gatos, enquanto que o protocolo com a AHPV garante um local, com todas as condições necessárias, para acolher animais maltratados.

Anualmente, é também celebrado um protocolo de colaboração entre o Município de Viseu e a Associação Cantinho dos Animais Abandonados de Viseu, com o objetivo de assegurar a esterilização dos animais abandonados do concelho, no valor de 15 mil euros (financiamento atribuído pela DGAV e gerido pela autarquia). Em 2018, 2019 e 2020 o Município de Viseu, através deste mecanismo, apoiou a esterilização de 327, 367 e 362 (respetivamente) animais de companhia.

Aliás, a Associação Cantinho dos Animais Abandonados de Viseu tem sido também responsável pelo acolhimento dos animais errantes e abandonados dentro do Concelho, que ronda já os 800 por ano. Esta ação em particular conta com um apoio de 70 mil euros anuais do Município.

A associação e a autarquia têm ainda em funcionamento o projeto CED (Captura, Esterilização e Devolução), que atua essencialmente em concentrações de gatos (colónias) que existem no concelho. Neste programa, todos os animais, além de serem esterilizados, são desparasitados e identificados eletronicamente.

O Município de Viseu tem vindo também a investir em infraestruturas com benefícios claros para os animais e os seus donos. Por exemplo, foram instalados três WC específicos para animais de companhia, em locais utilizados para passeio, especificamente no Parque Aquilino Ribeiro, no Parque de Santiago e no Parque Canino da Balsa.

Saliente-se ainda os contentores e dispensadores de sacos para os dejetos dos animais, implementados em cerca de 140 locais pelo concelho.

“Reconhecemos a importância da promoção do bem-estar animal, sobretudo no que respeita a canídeos e felinos, para melhoria das condições de vida, nomeadamente para o bem-estar físico e psíquico das populações, como aliás é proclamado pela UNESCO na Declaração Universal dos Direitos dos Animais”, conclui Conceição Azevedo, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Viseu.

Partilhar
EnglishFrenchPortugueseSpanish