Tribunal decide a guarda da cadela Kiara

Pela primeira vez um tribunal decidiu a guarda de um animal de companhia em Portugal. O Juízo de Família e Menores de Mafra decidiu esta segunda-feira, 2 de dezembro, que Kiara, uma Pit Bull de 7 anos, fica a partir de agora em exclusivo com a dona.

Na decisão pesou o facto de, depois da separação do casal, a mulher ter levado o animal consigo o que para o juiz demonstrou dedicação e interesse pelo bem-estar da cadela.

O casal separou-se ao fim de 12 anos de relação e, durante 6 desses anos, partilharam a custódia da cadela Kiara. Agora, ambos requeriam a custódia total do animal de estimação.

Em novembro, a cadela esteve na sala de audiências e o juiz pediu para ser feita perícia, como noticiou o CM Jornal. Num processo inédito, o juiz Joaquim Silva fundamenta a decisão de chamar o animal ao tribunal. “Eu tentei a conciliação com as pessoas, mas não consegui. Depois chamei o cão. O cão esteve no tribunal”, explicou o juiz titular do processo, durante a reconstituição da presença do canídeo na sala de audiências, que a CMTV acompanhou em exclusivo.

O juiz deixou claro que chamou o cão porque “queria ver se estava tranquilo com um e com outro” dos ex-namorados, ambos com 32 anos. Não satisfeito com a avaliação feita em tribunal, o juiz optou por solicitar o parecer de um especialista. “Queria ver o comportamento dela com cada membro do casal. Como tinha as minhas dúvidas, mandei fazer a perícia”, explicou ao CM Jornal.

 

EnglishFrenchPortugueseSpanish