“O Groomer é mais caro que o meu cabeleireiro!”

Durante anos, eu e muitos dos meus colegas, ouvimos a célebre frase que nos deixa doentes “é mais caro que o meu cabeleireiro” ou “é só um banho, porque é tão caro?”.

Em Estética Canina ou Grooming Canino nada é simples, nada é “só”. Grooming canino não é pedir ao cão que suba para a mesa enquanto nós tratamos dele, entre lambidelas com a cauda a abanar.

O grooming pode ser prazeroso, mas requer bastante treino e habituação. Por norma, tratamos de animais que estariam muito melhor em qualquer outro lado que não na nossa mesa e passamos mais de metade do tempo destinado ao trabalho a correr ao redor da mesa ou a tentar manter o cão sossegado.

Isto não acontece num cabeleireiro. A não ser, talvez, em cortes de cabelo de crianças. Ainda assim, apenas se corta o cabelo da cabeça, o que não é o nosso caso.

São serviços muito diferentes, em espécies diferentes e os preços evidentemente que são diferentes. Por isso, partilho 10 razões porque não é possível comparar preços entre estética humana e estética canina!

1. Parasitas nos clientes

Diz-se que um cão sem pulgas é como um jardim sem flores. Sim, pulgas, carraças, piolhos e a ocasional larva, é o pão nosso de cada dia. Felizmente cada vez menos, mas ainda é uma realidade.
Quando recebemos um cão com pulgas, temos obrigatoriamente de desinfestar todo o nosso espaço imediatamente a seguir. Cada pulga coloca cerca de 100 ovos por dia que eclodem, em média, 10 dias depois. Desinfestar um espaço comercial na integra é um custo exorbitante.
Já para não falar de carraças, são mais fáceis de apanhar, mas não evita que alguma nos pique e caso esteja infetada nos coloque em perigo de vida. Febre da carraça é uma doença muito perigosa.
As cabeleireiras têm o ocasional piolhito, mas a partir do momento em que tratam das toalhas, dos pentes e das escovas, o assunto fica arrumado.

2. Risco do cliente morder

Os Groomers podem e devem recusar clientes no caso de se sentirem em perigo ou se o animal está tão agitado que se possa magoar. Nesse caso deve ser encaminhado para um médico veterinário para que seja sedado e corte o pelo nesse local.
Ainda assim, há casos em que nada nos faz crer que um animal pode ser agressivo e muitos dos donos não são honestos em relação ao verdadeiro “feitiozinho” do seu cão.
Na eventualidade de atacar a sua cabeleireira, é muito provável que ela chame a Polícia. No mínimo, será posto para fora do estabelecimento. No nosso caso, acidentes acontecem. Chamam-lhe “ossos do ofício”.
Esses “ossos do ofício” são parte da razão porque os nossos serviços são mais caros que um corte de cabelo de 10€. Garanto que se o barbeiro tivesse de usar açaime e uma pessoa extra para segurar o cliente, de certeza, que o preço não seria esse.
Dentadas podem deixar-nos permanentemente sem trabalho ou pior ainda.

3. Desgaste intenso do material

Bem mantida, uma tesoura nas mãos de um cabeleireiro dura anos, até décadas.
As nossas tesouras duram até que o cão que temos em cima da mesa as atire para o chão. Na maioria das vezes vai para afiar e fica boa, mas até para isso existe um limite.
Além disso, as nossas tesouras também são maiores, o que faz com que, por norma, tesouras com a mesma qualidade sejam mais caras.
Pentes e escovas, temos vários, para diferentes tipos de pelo e usos. Cada um deles com uma esperança de vida curta em relação ao material de estética de humanos.
Em resumo, temos muito mais material, com desgaste superior, o que se reflete no preço final.

4. Material e espaço danificado

Como tratamos de animais, o espaço sofre com arranhões nas paredes ou no mobiliário. As mesas de grooming, assim como os braços de mesa, podem-se partir caso algum cão mais pesadote tente saltar. Há tesouras que caem e dentes de pentes que se partem, assim como cabos de escovas, pelo uso e força utilizada. Máquinas de tosquia podem voar com uma patada e era uma vez uma máquina de 300€.
Por norma, os seres humanos não costumam estragar, partir ou arranhar os salões de cabeleireiro. Acidentes podem acontecer, uma pessoa pode tropeçar ou bater com a mala e partir uma jarra. Mas não com a mesma frequência que um cão e não com os mesmos custos associados.

5. Gastos de um banho

Uma pessoa quando vai cortar ou lavar o cabelo, trata apenas de uma pequena parte do corpo, a cabeça. O Groomer não. Lavamos o corpo inteiro de animais que estão muito sujos. Os gastos com água, luz, champô e amaciador são enormes.
Os secadores são extremamente potentes e com um consumo energético muito grande. São industriais em comparação com os secadores de mão utilizados nos Cabeleireiros. E o tempo que a sua cabeleireira está com o secador de mão não é sequer comparável com o tempo que estamos com o seu cão em cima da mesa com os nossos secadores industriais de consumo astronómico.
Enquanto a sua cabeleireira usa duas nozes de champô de cada vez, nós usamos, se for preciso, um litro ou mais de champô no seu cão. Os champôs, dependendo da qualidade, evidentemente, custam em média 60€por galão (3,8 litros).
Como é óbvio, estes gastos têm de ser refletidos na conta.

6. É um trabalho sujo

Apesar de atualmente os animais terem um regime de higiene muito melhor que há uns anos, a maioria está mais de um mês sem tomar banho. Acumula-se muita sujidade no pelo. Além disso, temos a questão das fezes e da urina. O Groomer mete, literalmente, as mãos na massa e trata do assunto.
Os seres humanos tratam da sua própria higiene e não costumam levar fezes e urina como forma de adorno para que a cabeleireira possa ter a honra de limpar. Garanto que elas cobrariam muito mais e era provável que para a próxima vez ela só voltasse a ter tempo para o atender no próximo século.

7. É um trabalho pesado

Um Groomer anda literalmente com os clientes ao colo e a maioria não são animais de colo. Todos os dias, várias vezes por dia.
Para cima da mesa, para a banheira, para a mesa novamente e depois para o chão. Às vezes para cima da mesa múltiplas vezes, porque o cão fugiu e temos de o apanhar e colocar novamente. Já está cansado só de ler? Imagine então fazer.

8. É um trabalho de desgaste físico rápido

Assim como as cabeleireiras se queixam de tendinites por todos os brushings que fizeram ao longo da carreira, os Groomer também.
No caso dos Groomers deve-se ao facto de passarem o dia inteiro com uma máquina de 500 gramas na mão em movimentos repetitivos, da força que temos de fazer para tirar os nós do pelo e dos esticões que levamos nos braços e mãos para tentar segurar uma pata.
Mas também: problemas lombares por pegar em cães de 50 Kg, cervicais por estar de cabeça baixa a tratar de cães pequeninos, nos pés de passar o dia inteiro em pé no mesmo sítio e nos pulsos, ombros e polegares do hand stripping
É, de facto, um trabalho muito árduo e com mazelas permanentes.

9. Número menor de clientes diários e serviço mais demorado

Os salões de cabeleireiro podem atender vários clientes ao mesmo tempo. Enquanto uma pessoa está a fazer um tratamento, sentadinha a ler uma revista, começamos a tratar da cliente seguinte.
Os Groomers, a não ser que tenhamos colegas, só podem atender um cliente de cada vez, porque os animais não podem ficar sem supervisão. Além disso, um simples corte de pelo em um cão pequeno demora, em média, 1 hora, mas pode demorar mais.
O tempo despendido depende do estado do pelo, do comportamento das animais e do tamanho. Um serviço de Grooming pode demorar entre uma hora a um dia inteiro, por exemplo, no caso de um Cão da Terra Nova cheio de nós.
Nenhum corte de cabelo, em nenhum humano, demora esse tempo e se demorar é cobrado e muito bem.

10. É um trabalho sazonal

Todos os dias as pessoas cortam o cabelo. Independentemente de ser verão ou inverno, as pessoas tratam da sua imagem e mantêm-na. Umas com mais frequência, outras menos. Claro que há épocas altas, como o Natal e o Ano Novo, mas, por norma, um Cabeleireiro tem sempre clientes.
Os salões de Grooming, apesar de estarem abertos todo o ano, sofrem de uma diminuição de trabalho na época da chuva e do frio. Como temos contas todo o ano, as mesmas contas, trabalhamos como a formiguinha no verão, para ter para o inverno.

No entanto, apesar de tudo isto, ainda estamos aqui descabelados, mas sempre com um sorriso para si e para o seu animal.

Se cobramos o que cobramos – e acredite que cobramos muito pouco para o real trabalho e custo associados a manter aberto e em funcionamento um salão de Grooming – o mínimo que desejávamos era que deixassem de comparar serviços que não têm nada a ver.
Obrigada pela atenção!

Por: Isabel Nobre, Profissional Groomer
IN Grooming & SPA

Partilhar
EnglishFrenchPortugueseSpanish